morada-03
Contabilidade Fácil
CEA_Prancheta 1

Presidente da Câmara de Bertioga, Carlos Ticianelli propõe criação de ciclovias nas Rodovias para fomentar o turismo da região

Cidades Destaque Segurança

Vereador ainda acredita que o equipamento garantirá mais segurança aos ciclistas e também vai incentivar o uso das bicicletas da região

 O presidente da Câmara de Bertioga, o vereador Carlos Ticianelli tem batido insistentemente na criação de ciclovias nas Rodovias que rodeiam Bertioga e as demais cidades da Região. O vereador acredita que o equipamento, além de fomentar o turismo da Região da Baixada Santista, também é uma excelente forma de incentivar o uso das bicicletas para uma melhor qualidade de vida.  

Em sessão da última terça-feira (10), o vereador apresentou trabalho e argumentou sobre a necessidade desse importante equipamento, que vai trazer segurança aos ciclistas que frequentam a região. Ticianelli tem realizado reuniões com amigos ciclistas de Bertioga, cidades vizinhas e até ciclistas das cidades da Grande São Paulo, que relatam alguns problemas na descida para Bertioga e Região. 

“As Rodovias que rodeiam nossa cidade não possuem ciclovias, ciclofaixas ou qualquer outro espaço para a segurança dos ciclistas que fazem o uso das bicicletas como forma de passeio turístico ao litoral”, destacou o vereador lembrando que encaminhara cópia do trabalho ao Ministério Público pedindo apoio do órgão para agir com a concessionarias.     

Além disso, a Ecovias, concessionária que administra a Rodovia dos Imigrantes, proíbe a descida dos ciclistas para nossa região, o que consequentemente causa muito transtornos aos ciclistas e deixa de fomentar o turismo das cidades da Baixada Santista. 

Insegurança

Em consulta ao site “VádeBIKE.org”, o parlamentar constatou que a Ecovias e a ARTESP alegam que a Rodovia não é segura para ciclistas. “Argumento vago. Além disso, eles assumem isso oficialmente desde o ano 2009, sem mover um dedo para corrigir essa grave falha”, comenta o vereador. 

Segundo Ticianelli de dois anos para cá alguma coisa mudou, mas não da concessionária, “que continua fazendo todo o possível para evitar que bicicletas utilizem “suas” (nossas!) rodovias”, lamenta.  

Movimentos 

Mais organizados, Ticianelli cita como exemplo os movimentos de ciclistas de São Paulo, em especial o Instituto CicloBR. “O grupo conseguiu interagir com outros setores do poder público, com exceção da Artesp, com objetivo de  estabelecer uma rota alternativa na Rodovia dos Imigrantes, por onde fosse possível chegar de bicicleta ao litoral, entre elas a Rota Cicloturística Márcia Prado, por onde já foram feitas duas grandes descidas”, disse.

“Sem espaços adequados para bicicletas em rodovias, os ciclistas se arriscam em acostamentos e em vias sem sinalização. A consequência é um número maior de acidentes envolvendo ciclistas.  

Acidentes

O parlamentar cita um dado publicado pela Tv bandeirantes, que afirma que na Rodovia dos Imigrantes, por exemplo, 12 ciclistas se feriram entre janeiro e maio deste ano. No mesmo período, em 2020, foram sete e, em 2019, foram oito acidentes. 

As estradas Padre Manoel da Nobrega e Cônego Domenico Rangoni também apresentaram aumento no número de acidentes envolvendo bicicletas. “A Padre Manoel da Nobrega é a que mais registra acidentes: 44 acidentes com ciclistas entre janeiro e maio”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *