morada-03
Contabilidade Fácil
CEA_Prancheta 1

Conheça a história de vida do ilustre Tio Bahia: criador do Caldo de Morcego; para muitos, um mito que deixou muitas saudades

Brasil Cultura Destaque Entretenimento

Por Willian Santos

O saudoso Joselindo Santos Silva inaugurou em Bertioga, o bar que levou o nome de sua alcunha, ‘Tio Bahia’, em 1999, conquistando públicos de todas as idades, inclusive os jovens que fizeram do referido estabelecimento, o ponto de encontro da galera.

O Folha News abre um espaço para relembrar quem fez ou quem ainda faz história em Bertioga. No caso, o intuito é publicar sobre essa gente que ainda é muito querida, gente que conquistou o coração de bertioguenses de todas as idades, morando para sempre na memória de todos eles, assim que partiu e deixou saudades; ou mesmo gente que está bem viva, na atividade, dando seu melhor no seu cotidiano, se tornando uma personalidade memorável pela própria natureza de ser quem simplesmente é.

Serão histórias de pessoas comuns, simples na maneira de ser, mas ricas na forma de enxergar o mundo, mostrando nele saber viver e ser feliz de formas muitas vezes, bem inusitadas. Iniciando essas mitológicas biografias, este periódico digital inicia uma saga que mostrará a vida de pessoas ilustres, enfatizando quem foi o saudoso Tio Bahia.

Em 7 de novembro de 1957, nascia Joselindo Santos Silva, na cidade de Macarani, localizada no interior baiano. Ainda jovem, ele veio para a cidade de Poá, na Região Metropolitana de São Paulo, no Alto Tietê e, chegou a trabalhar na fábrica das Bicicletas Monark. Mais tarde, atuou como trabalhador metalúrgico, foi soldador, porém, foi administrando casas noturnas é que Joselinndo começou a demonstrar a sua personalidade que, se tornaria tão admirada por todos os que vieram a conhecê-lo.

Assim sendo, ele montou seu primeiro salão de dança no município poaense. Posteriormente, abriu um outro no bairro de Jundiapeba, em Mogi das Cruzes e depois mais dois salões de dança em Itaquaquecetuba, sendo um de axé, lambada, salsa e merengue, entre outras danças caribenhas e, o outro em que o tradicional forró predominava nas noites mais dançantes da Zona Leste Paulista.

Inclusive, com tanta música, tanto arrasta-pé, tanto rala-bucho e bate-coxa, não foi à toa que Joselindo, a essa altura da vida teria se tornado um exímio dançarino, daqueles que sabiam usar o corpo de forma ritmada 100% aplausível, não importando o estilo musical. E nessa época, dizem atuais moradores bertioguenses que residiam no Alto Tietê e que frequentaram os referidos bailes da vida, que poucos sabiam quem era um tal de Joselindo, todavia, muitos já sabiam quem era Tio Bahia.

TIO BAHIA EM BERTIOGA

O bom baiano veio a Bertioga para passar uns tempos e acabou que gostou da vida à beira mar, decidindo assim no município permanecer. Chegou a trabalhar num bar de um amigo chamado Bira. Contudo, logo ele estaria abrindo seu próprio negócio de frente onde era localizado o estabelecimento onde estava trabalhando. Inclusive, ele fechou um boteco em Itaquaquecetuba para investir na inauguração do seu mais novo bar, que recebeu o nome de sua alcunha, ‘Tio Bahia’, à Rua Júlio Prestes, no Centro, isso, em 1999, quase que na virada do século. No boteco, ele já vendia alguns de seus drinks exóticos, como, o ’12 foda’, por exemplo.

O CALDO DE MORCEGO

Devido à juventude que frequentava o já badalado estabelecimento, para apreciar uma bebida que ‘batia forte’ na mente, rapidamente, essa galera a ficava observando, dentro de um grande frasco de vidro transparente, misturada com raízes, folhas de ervas, entre outros ingredientes. Numa das noites de boemia, aquele recipiente fez alguém já em estado ébrio, pensar que eram morcegos mergulhados na cachaça.

Foi um momento em que todos os que estavam presentes na ocasião, riram. Assim surgiu a ideia de nomear aquela pinga, de ‘Caldo de Morcego’, o drink mais famigerado entre qualquer outro oferecido na casa. Inclusive, é muito válido lembrar do cardápio de excelentes drinks que o Tio Bahia inventou e, que até hoje são muito apreciados. Todos com nomes tão exóticos quanto o sabor de cada um deles.

E neste bar ainda tem: Leite de Onça, Mijo do Hulk, Sangue de Periquita, Gasolina de Avião, Cura Gay, Mela Cueca, Licor da Perseguida, entre muitos outros. Segundo Denis William, filho do Tio mais querido de Bertioga, seu pai sempre viajava pelo país, inclusive para cidades do Estado Minas Gerais, como São Thomé das Letras, e chegava cheio de novidades, principalmente com novos nomes de bebidas na cabeça. Dessa forma, ele fazia misturas de um drink com outros, com raízes de plantas, frutas e assim surgiam as novas bebidas.

Na foto, alguns dos drinks servidos na casa: a Gasolina de Avião, o Vinho da Casa e o famigerado Caldo de Morcego

E não se pode deixar de mencionar, a boa comida oferecida no bar. No caso, comidas típicas nordestinas como: mocotó, sarapatel, joelho de porco, baião de dois, entre outras, isso sem falar nas porções de variados sabores e muito mais.

A essa altura da vida e de sua presença em Bertioga, Tio Bahia já havia conquistado muitos amigos, por ser uma excelente companhia, também através de seus drinks e do tempero na medida certa que ele oferecia nas suas especialidades culinárias. Ainda conforme o referido filho dele, o Denis, seu pai conquistou muitas namoradas, as quais, em tom de brincadeira, ele as chamava de ‘noiva’.

Tio Bahia com sua simpatia, conquistou o público jovem que era assíduo em seu bar

A forma de tratamento dele com os amigos ‘mais chegados’ também sempre foi muito inusitada. Existiam episódios assim, em que ele falava. “Ae ‘meu chegado, cheio de gaia’, vai tomar o que? Vai um Caldo de Morcego? Fiquei sabendo que está com uma noiva nova (…) “, dizia o saudoso Joselindo.

AS VIAGENS

O Tio Bahia não perdeu tempo quando o assunto foi, viajar. Além de suas andanças pelo país, também por motivos de retiros espirituais, ele viajou para Madri, na Espanha, Dubai, Rússia, Índia, entre outros países. O certo é que este amigo de todos, soube aproveitar a vida que teve, como já mencionado, conquistando novas amizades de todas as idades, inclusive o público jovem, quando seu estabelecimento chegou a ser ponto de encontro, principalmente desta referida faixa etária da galera bertioguense, que tem muitas histórias para contar sobre o Tio Bahia, tendo muitas excelentes lembranças gravadas na memória, ainda saudavelmente, presas no peito.

Tio Bahia em sua viagem à Índia

O certo é que o senhor Joselindo deixou muita saudades guardadas em todos os que o amavam e o admiravam. Infelizmente, por conta de problemas cardíacos, ele partiu, deixando seus filhos Denis e Jorge, as boas amizades e também as ‘noivas’. A notícia da morte de Tio Bahia, chegou a ser publicada até mesmo no site da Folha de São Paulo, um significado de que ele e seu estabelecimento se tornaram mais conhecidos do que se possa imaginar.

O certo é que com a morte de Tio Bahia, o bar mudou de endereço, deixando de estar situado à Rua Domingos Pires, sendo instalado à Rua Júlio Prestes, quase que ao lado da igreja católica São João Batista. Na atualidade, o bar mudou novamente, agora fica à Avenida Vicente de Carvalho, 58, ao lado do restaurante Sandy. Estando sob a direção de Denis William, isso desde o falecimento de seu pai. No novo ponto, o proprietário afirma que a novidade da casa fica por conta das deliciosas batatas recheadas, de diversos sabores.

Os lanches, salgados e porções continuam sendo servidos normalmente. Denis destaca que o forte do Bar do Tio Bahia, sempre serão as bebidas exóticas e a cerveja gelada. Ele comenta que logo, as comidas típicas servidas na casa, como, mocotó, sarapatel, joelho de porco, carne seca, rabada, entre outras, voltarão a ser opções para uma boa pedida. Denis ainda realça querer expandir seu público nesta nova empreitada ocorrida com a mudança de endereço. Muita sorte e prosperidade a este bar que está entre os mais famosos da cidade. Este é o desejo do Folha News.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *