vasconcelos-corretor
morada-03
CEA_Prancheta 1
Contabilidade Fácil
camara

Mortes por Covid-19 nos 6 meses de 2021 já superam todo o ano de 2020 na Baixada Santista

Brasil Cidades Destaque
Em 2020, região registrou, desde o início da pandemia até dezembro, 2.748 mortes causadas pela doença. De janeiro deste ano até esta quarta, Baixada Santista já soma 2.769 novos óbitos por Covid-19.

A Baixada Santista, no litoral paulista, registrou até esta quarta-feira (9) 5.517 mortes pela Covid-19 desde o início da pandemia. Foram 29 óbitos nas últimas 24 horas, segundo os boletins epidemiológicos divulgados pelas prefeituras. A região ultrapassou o número de mortes registradas durante todo o ano de 2020, em apenas seis meses de 2021.

Só neste ano, a Baixada Santista registrou 2.769 mortes causadas pela doença, ante os 2.748 óbitos do ano passado. De março de 2020 – início da pandemia – até dezembro daquele ano, foram registrados 81.393 casos confirmados da doença. De janeiro de 2021 até esta quarta-feira, já são 60.426 confirmações de infectados pelo novo coronavírus.

O médico infectologista Evaldo Stanislau explicou ao G1 que o maior número de mortes está relacionado, também, ao maior número de casos, mantendo uma proporcionalidade. “Uma coisa está atrelada à outra. Nitidamente, quem pensa que a Covid como problema de saúde pública acabou está muito enganado. O número de casos continua aumentando. Apesar de termos uma vacinação importante na nossa região, ainda temos muita gente não vacinada e vulnerável à infecção”, explica.

Segundo Stanislau, é muito importante que continue-se trabalhando para uma vacinação rápida e em muitas pessoas. “Também temos que usar e abusar das medidas de prevenção, como o uso de máscara correto e o distanciamento. Temos que testar mais e identificar onde está tendo a circulação do vírus, para intensificar as medidas de controle nessas áreas. Isolar mais as pessoas que testem positivo para evitar a propagação da infecção”, diz.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O especialista ainda alerta que a aglomeração é um dos fatores que mais facilitam a transmissão do vírus, e que, provavelmente, contribuiu para o aumento de casos e de transmissão das variantes. “Em relação ao número de mortes, certamente reflete a proporcionalidade do número de casos. Eu imagino que a letalidade, ou seja, o quanto das pessoas infectadas morre, está relativamente semelhante, estável. Não é que os pacientes estão mais graves, é que tem mais casos. A gente tem observado que, realmente, há pacientes mais jovens muito graves na UTI”, relata.

Casos

A Baixada Santista registrou 484 novos casos confirmados de Covid-19 nesta quarta-feira. A região soma 141.819 confirmaçõese 5.517 mortes causadas pela doença. Ao todo, há 3.820 casos suspeitos, 277 óbitos sob investigação e 122.560 pacientes recuperados. O número de pacientes internados com sintomas da doença registrou queda na Baixada, passando de 647 para 624.

Santos é a cidade com o maior número de internações, mas registrou queda nesta quarta, passando de 555 para 534 pessoas hospitalizadas no município. A taxa geral de ocupação dos 778 leitos de Covid-19 disponíveis está em 69%. Entre os 406 leitos de UTI, a ocupação é de 71%. Na rede SUS, a taxa é de 63%, e na rede privada, 80%.

Oito dos nove municípios da região registraram novas confirmações da doença nesta quarta. Itanhaém não atualizou o boletim, por ser feriado na cidade. São Vicente registrou o maior número de óbitos, 14 ao todo. Em seguida, Santos somou oito mortes, Praia Grande e Bertioga somaram três cada, e Cubatão registrou um novo óbito. O número de pacientes recuperados ultrapassou a marca de 122,5 mil.

FONTE: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *