vasconcelos-corretor
camara
morada-03
Contabilidade Fácil
CEA_Prancheta 1

Cão comove ao ficar um mês na porta de dona que se mudou e o deixou para trás no litoral de SP

Brasil Causa Animal Destaque
Marlon foi encaminhado a um lar provisório após ameaças de agressões. Animal vivia na rua e era alimentado pela vizinhança do bairro Esmeralda, em Praia Grande.

Um cachorro passou mais de um mês aguardando a antiga dona em frente à casa onde ela morava após rejeitar o novo tutor e fugir em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo apurado pelo G1, a cuidadora de Marlon foi morar em outro estado e precisou deixar o animal com parentes. Logo após ela sair da casa, o cão retornou ao imóvel e passou a ser alimentado por vizinhos. Há dois dias, ele foi encaminhado a um lar provisório e está disponível para adoção.

O animal estava morando na rua, em frente à casa da antiga tutora, no bairro Esmeralda. Em entrevista ao G1, a autônoma Denise Corsi contou que ,quando alugou o imóvel, Marlon já ficava no portão da residência. “Quando eu aluguei a casa ele já ficava lá na frente e não saía. Os vizinhos que davam comida tentaram colocar ele dentro da casa deles, mas ele não queria sair da minha porta”, comenta.

Embora o animal tenha sido acolhido pela vizinhança, Denise relata que alguns moradores chegaram a maltratar o cachorro jogando pedras e até mesmo ameaçando com pedaços de madeira. Por essa razão, Marlon foi encaminhado a um lar provisório. “Quando algumas pessoas passavam na rua ele latia, mas ele é dócil, eu só não posso ficar com ele porque já tenho uma cachorra e a minha casa é pequena, também não tenho condições”, explica.

Os episódios de agressões e ameaças ao animal chegaram até as amigas Helen Baum e Miriam Reis, que também moram em Praia Grande. Ao ficarem sabendo da história de Marlon, elas decidiram levá-lo para um local mais seguro. Segundo Helen, o cão corria o risco de ser morto. “Fui até o local para saber a situação e comentaram comigo que estavam com ameaças de envenenamento. Para ele não morrer, eu e a Miriam levamos ele para um lar temporário”.

Segundo Helen, em poucos minutos foi possível perceber que o animal não oferecia perigo. “Ele é um cachorro dócil e brincalhão, não oferece perigo nenhum. Ele tem atitudes normais de cachorro, late atrás de moto e tem algumas pessoas que ele realmente avançou porque o ameaçaram com pedras e paus. Como ele já levou pedradas, é obvio que vai avançar por causa do instinto animal”, relata.

Marlon está morando no lar provisório desde sexta-feira (4), onde convive com outros sete cachorros. Na primeira noite, Helen relata que ele tentou fugir e voltar para a casa da antiga dona. “Agora ele tem que ficar dentro de casa para não fugir. Ali realmente faltou atenção e carinho, é o que ele quer. Apesar de ele ter sido bem tratado com alimento e água”.

Conforme explica Helen, o cachorro está saudável e passa por tratamento para tirar carrapatos. Atualmente, Marlon está disponível para adoção e precisa de um novo lar. “Esse cachorro é guerreiro, ele é apaixonante, a coisa mais linda do mundo e muito inteligente”, finaliza.

G1 não conseguiu localizar a família tutora do animal até a publicação desta reportagem.

G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *