morada-03
Contabilidade Fácil
CEA_Prancheta 1

Polícia busca jovem que matou a mãe e usou a web para fingir luto no litoral de SP

Cidades Destaque
Segundo a Polícia Civil, equipes realizam diligência visando a sua localização e prisão. Ele foi indiciado por homicídio doloso, quando há intenção de matar.

A Delegacia de Guarujá, no litoral de São Paulo, realiza diligência visando a localização e prisão do jovem Bruno Eustáquio, de 23 anos, suspeito de matar a própria mãe, Márcia Lanzane, de 44 anos, segundo informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP) ao G1 neste sábado (5). A Polícia Civil o indiciou por homicídio doloso, quando há intenção de matar, e, após solicitação da autoridade policial, a Justiça decretou a prisão preventiva do suspeito.

O crime ocorreu em dezembro de 2020. Na época, o suspeito chegou a fazer uma postagem nas redes sociais lamentando a morte da mãe. “Te amarei para sempre! Obrigado por tudo meu amor. Luto Eterno Rainha”, diz a publicação.

A morte de Márcia comoveu diversas pessoas e uma página chegou a ser criada em uma rede social, com o nome “Justiça por Márcia Lanzane”.

Em sua rede social, a vítima chegava a fazer homenagens ao filho. Em uma das postagens, feita em 2018, ela agradecia por tê-lo em sua vida e dizia que ele era sua força para viver, postando diversas fotos dos dois. Veja abaixo:



Imagens obtidas pelo G1 na última quarta-feira (2) mostram o rapaz segurando o pescoço da vítima e a agredindo com socos dentro de casa, no bairro Sítio Cachoeirinha, antes da morte da mulher (veja vídeo mais abaixo; as imagens são fortes). Os vídeos do circuito interno de segurança do imóvel foram encontrados dentro do forno do fogão.

O advogado do suspeito, Anderson Real, disse que ele afirmou ter apertado o pescoço da mãe para imobilizá-la, não para matá-la, e que ela teve um “pequeno desmaio”, ele saiu de casa em seguida e, quando voltou, encontrou ela morta (leia mais abaixo o que o advogado disse ao G1).

O caso foi investigado pela Delegacia Sede de Guarujá. O inquérito policial com o indiciamento foi concluído em 31 de maio de 2021 e encaminhado à Justiça. A defesa dele afirma que ele está arrependido e que segurou o pescoço da mãe apenas para imobilizá-la

FONTE: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *