morada-03
Contabilidade Fácil
CEA_Prancheta 1

Levantamento aponta a necessidade de 22 mil doses de vacina contra a Covid-19 para imunizar portuários em Santos

Sem categoria

Sindicato entregou o relatório à Prefeitura de Santos para solicitar a antecipação da vacinação da categoria.

O Sindicato dos Operadores Portuários do Estado de São Paulo (Sopesp) realizou um levantamento e verificou que serão necessárias 22 mil doses de vacinas contra a Covid-19 para imunizar os trabalhadores que atuam no Porto de Santos, no litoral paulista. O levantamento foi realizado após reuniões entre autoridades municipais e os portuários, que pedem pela antecipação da vacinação.

Na última terça-feira (18), o sindicato solicitou ao prefeito Rogério Santos (PSDB) e ao secretário de Saúde, Adriano Catapreta, a antecipação da vacinação da classe portuária contra a Covid-19 durante uma reunião. Na ocasião, ficou estabelecido que o Sopesp deveria entregar um relatório à prefeitura com a quantidade de trabalhadores vinculados e avulsos relacionados às atividades do Porto de Santos que devem ser vacinados.

Segundo dados enviados pelo Sopesp ao G1, nesta sexta-feira (21), o relatório contabilizou cerca de 11 mil trabalhadores. Por se tratarem de duas doses necessárias para a imunização contra a Covid-19, a categoria estima que serão necessárias 22 mil doses da vacina para contemplar todos os operadores portuários da região.

O sindicato ainda esclareceu que o relatório já foi entregue à Prefeitura de Santos e que a classe tem a expectativa de ter a solicitação atendida pelos órgãos responsáveis, para possibilitar a vacinação dos portuários. A categoria não paralisou os serviços presenciais desde o início da pandemia.

Na última quinta-feira (20), em nota enviada ao G1, o Ministério da Infraestrutura confirmou que, em conjunto com o Ministério da Saúde, está tratando da possibilidade de antecipação da vacinação dos portuários.

G1 entrou em contato com a Prefeitura de Santos para saber quais serão os próximos passos da administração municipal referentes à antecipação da vacinação dos portuários, mas, até a publicação desta reportagem, não obteve respostas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *