vasconcelos-corretor
morada-03
CEA_Prancheta 1
Contabilidade Fácil
camara

Morre Marcos ‘Macaé’, aos 63 anos, vítima da covid

Sem categoria

Macaé foi presidente do Sintracomos (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Santos) e lutou pelos trabalhadores da Baixada Santista

Marcos Braz de Oliveira, o ‘Macaé’, morreu nesta segunda-feira (17) aos 63 anos, vítima da covid-19. Ele estava internado na Santa Casa de Santos há 50 dias, desde que testou positivo para a doença e teve complicações em seu estado de saúde.

Macaé foi presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de Santos (Sintracomos) e defendia a categoria com ‘unhas e dentes’.

Muito amigos e companheiros de trabalho de Macaé publicaram homenagens nas redes sociais. “Meus sentimentos a família e amigos. O movimento sindical perde um grande líder”, disse Lu Oliveira.

A internauta Terezinha Felix também demonstrou tristeza: “Acordei com essa notícia triste, que você se foi, sentirei falta de sua alegria e determinação. Você lutou muito pelos trabalhadores, deixou seu legado. Essa foto [publicada na página de Macaé] foi num acampamento na greve da Prodesan, onde te convenci a comer alguma coisa. Adeus senhor presidente Macaé Marcos Braz. Adeus meu amigo, vou guardá-lo em meu coração”.

O conselheiro tutelar de Guarujá, Luciano Alberto, destacou as qualidades de Macaé: “Com você não tinha tempo ruim. Era um grande articulador e lutador do povo. Aprendi muito com você sobre política sindical, sobre a vida, mas principalmente sobre cuidar e defender nossos amigos e aliados. Um homem íntegro e de palavra, que o Grande Arquiteto do Universo lhe receba e que conforte seus familiares e a todos que lhe amavam. Em breve estaremos juntos em outro plano meu irmão, até logo”, disse.

Sepultamento

Macaé teve piora no quadro no domingo (16), com uma parada cardiorrespiratória por volta de 19 horas. Às 5 horas da manhã desta segunda-feira teve uma nova parada e faleceu. O velório será realizado às 12 horas na Santa Casa, com restrições, devido à pandemia; e o sepultamente às 14 horas no Cemitério da Areia Branca, ambos em Santos.

fonte: Sistema Costa Norte de Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *