vasconcelos-corretor
morada-03
CEA_Prancheta 1
Contabilidade Fácil
camara

Daysi Camargo ‘Olha no Mapa que o mapa responde’

Cidades Cultura Destaque

Educadora, jornalista e grande incentivadora da arte no Município,  Daysi Camargo já atuou em vários tipos de peças de teatro, fotonovela e longa-metragem 

Por Gisleyne Cezário


Daysi Camargo, a professora Daysi, como é carinhosamente conhecida em Bertioga, já atuou em vários tipos de peças, filmes, TV e fez até um longa metragem, intitulado “Presídio de Mulheres, na década de 70. Nessa época, as fotonovelas eram a sensação do momento.  

Daysi foi uma das estrelas mais importantes da fotonovela “A marca de um Beijo”. Contracenou com o ator Roberto Pirillo e a atriz Reny de Oliveira, conhecida por interpretar a narizinho do clássico Sítio do ‘Pica Pau Amarelo’. A fotonovela foi estampada na revista Sétimo Céu.  

Começou no teatro, em 1969, com a Peça Balcão. Ela resume sua história com a arte como um “caso de amor”. Foi para o Rio de Janeiro na década de 70, onde atuou como figurante na novela a ‘Moreninha’.   Formada em jornalismo pela Cásper Libero, em 1979, frequentou os bancos da faculdade com figuras conhecidas da comunicação, como o jornalista Luiz Fernando Silva Pinto, da rede Globo.  

Foi na rede Globo, na época Rede Tupi, que  conheceu sua alma gêmea, o cinegrafista Nilo Mota, com quem teve três filhos, Verena, Darana e Suria.  

Nilo trabalhou com o jornalista Vladmir Herzog, que desejava ser um cineasta, mas, vitimado pela ditadura, tornou-se uma personagem icônica da História do Brasil e da construção da nossa democracia. 

Na década de 80, Daysi iniciou o ‘Projeto Rádio Cupido’, na Praça do Morumbizinho, em São Miguel, zona Leste de São Paulo. Nessa época, ela já era formada em geografia, formação incentivada pela mãe, que tinha uma pousada que recebia professores.    

Daysi foi uma das estrelas mais importantes da fotonovela “A marca de um Beijo”. Contracenou com o ator Roberto Pirillo e a atriz Reny de Oliveira, conhecida por interpretar a narizinho do clássico Sítio do ‘Pica Pau Amarelo’. A fotonovela foi estampada na revista Sétimo Céu.  

Apaixonada pela arte, Daysi, acompanhada pelos alunos, desenvolvia atividades ligadas a arte: varal da poesia, música, dança e pintura, tudo em uma barraca. O trabalho fez tanto sucesso, que logo ela ganhou um coreto, construído pela administração municipal. O equipamento deu mais segurança e protegia as atividades da mudança do tempo, que muitas vezes prejudicava as atividades.  Uma barraca de música semeada de amor e alegria, a ‘Rádio Cupido’. O projeto acabou em 1985. Depois a rádio foi para um circo, com um movimento popular de arte. A inauguração contou com a atriz Inezita Barroso. 

Xadrez Também em São Miguel, com a família Camargo, Daysi montou uma agência de promoção e  arte, cultura e lazer – propaganda e promoções. “Eles tinham a agência da PRAC. Eu montei o clube. Também tínhamos um coreto. Foi lá que surgiu o xadrez, na década de 90”, disse.  

A história da professora Daysi é rica de muita luta pela arte e cultura não só em Bertioga, mas em muitas regiões do Brasil

Em Bertioga, Daysi é idealizado e fundadora do Cineclube Buriquioca. Lecionou por muitos anos na Escola Estadual Armando Belegarde, onde ministrou aulas de geografia. Conhecida pelos alunos pelas expressões ” Olha no mapa, que o mapa responde” e “resumo não é cópia”, é muito admirada e respeitada pelo seu empenho e profissionalismo.  
Aposentou suas aulas, mas nunca deixou a cultura, por acreditar que através dela são formados cidadãos mais críticos, participativos e expressivos. A história da professora Daysi é rica de muita luta pela arte e cultura não só em Bertioga, mas em muitas regiões do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *