vasconcelos-corretor
morada-03
CEA_Prancheta 1
Contabilidade Fácil
camara

27 anos sem Ayrton Senna: relembre a história do maior piloto da história da F1

Brasil Destaque

O piloto brasileiro Ayrton Senna deixou o seu legado e marcou gerações

Neste dia 1º de maio de 2021, completa-se 27 anos da morte do eterno ídolo do automobilismo brasileiro, Ayrton Senna. Conhecido mundialmente, o piloto marcou gerações e deixou o seu legado!

Para relembrar a história do tricampeão da Fórmula 1, a CARAS Digital preparou um especial sobre o piloto, que mudou a maneira como os brasileiros aproveitavam o domingo de manhã, já que acordar para vê-lo correr era rotina na maioria dos lares. 

INFÂNCIA 

Nascido no dia 21 de março de 1960, Ayrton Senna da Silva foi criado na zona norte de São Paulo e sempre foi apaixonado por alta velocidade. Incentivado pelo pai, senhor Milton, ele apresentou uma habilidade incrível com o Kart e a partir dai a paixão pelo motor só aumentou. 

Aos 9 anos, Senna já conduzia jipes com certa experiência. O domínio era tanto que um dos motoristas contratados pela família decidiu deixar o emprego: “Por que vou continuar motorista se o garoto é quem dirige?”

Com 13 anos, ele já competia oficialmente, mas nunca havia sentido o gosto da vitória. Até que em 1977, aos 17 anos, venceu sua primeira corrida. Naquele momento, Ayrton sentiu que ali era o seu lugar.

Em 1981, aos 21 anos, Senna participou do campeonato inglês de Fórmula Ford 1600, na Europa. Foram surpreendentes 12 vitórias em 20 corridas. Foi nessa época que o piloto decidiu adotar o sobrenome de solteira da mãe, Senna, já que Silva é comum no Brasil.

Foi em 1984 que Ayrton começou sua trajetória na Fórmula 1, pela Toleman. O primeiro ponto marcado na competição aconteceu em seu terceiro GP, na África do Sul. O mesmo resultado se repetiu na Bélgica, duas semanas depois. 

A temporada de 1985 começou em uma nova equipe, a Lotus. O primeiro ano foi marcado por algumas vitórias, muitas frustrações e o quarto lugar no ranking geral. Foi nessa época que o piloto ficou conhecido como ‘Rei da Pole Position’, devido aos seus surpreendentes tempos durante os treinos.

Em 1986, Senna conquistou o segundo lugar no GP do Brasil. Atento a limitação do seu motor, adotou a técnica de adiar as trocas de pneus e, com isso, passou a liderar o campeonato pela primeira vez. Os problemas técnicos continuaram e mais uma vez o piloto terminou a temporada na quarta posição. 

Mesmo com a oportunidade de maiores conquistas, devido a um novo patrocinador, Senna deixou a Lotus após amargurar um terceiro lugar e começou a correr pela McLaren, em 1988. Na nova equipe, o piloto ganhou o companheiro, Alain Prost, com quem conquistou 15 das 16 corridas disputadas. Foi nesse ano também, que o brasileiro venceu seu primeiro título mundial.

No ano seguinte, a rivalidade entre os pilotos se tornou uma verdadeira guerra. Prost conquistou o tricampeonato mundial após uma colisão com o carro do Senna, no GP do Japão. Inconformado, o piloto tentou recorrer de todas as maneiras, mas não teve sucesso. 

No mesmo circuito, em 1990 com Prost na Ferrari, a dupla disputou o título. No entanto, uma nova colisão entre eles deu vantagem para Senna, que conquistou o seu segundo campeonato. Um ano depois, Senna se tornou tricampeão mundial.

Curiosidade: em toda a sua carreira, Senna não conseguiu tempo em apenas um GP, o de San Marco.


Capacete usado por Ayrton Senna no GP do Brasil em 1994
Crédito: site Ayrton Senna – Acervo Memorial

O ANO DE 1994 E A CURVA DE TAMBURELLO

Em 1994, Senna realizou o sonho de correr pela Williams, fazendo com que Prost se retirasse da equipe. Com um dos melhores carros, o brasileiro se tornou o favorito ao campeonato, mas foi na pré-temporada, que notou a dificuldade em dirigi-lo, chegando a reclamar várias vezes da instabilidade do veículo.

O início da temporada não foi dos melhores e em sua terceira corrida, no GP de San Marino, na Itália, Senna acelerou pela última vez. Ao entrar na curva Tamburello, o piloto perdeu o controle do carro devido a uma barra de direção quebrada e seguiu reto em direção aos muros laterais, chocando-se violentamente. Ele ainda conseguiu reduzir a velocidade de 300 km/h para 200km/h, segundo mostrou a telemetria.

Após a batida, o piloto foi atendido na pista e transferido para o hospital, onde, poucas horas depois, foi declarado morto, deixando o Brasil de luto.

A morte do brasileiro trouxe mudanças significativas na F1, como: novas barreiras, curvas redesenhadas para minimizar a possibilidade de acidentes, altas medidas de segurança e o próprio cockpit dos pilotos repensado.

Números de Senna: 161 GPS disputados, 65 pole positions, 41 vitórias, 2982 voltas na liderança, 19 voltas mais rápidas e 3x campeão mundial.

“Se me tornei o número um, isso quer dizer que sou melhor que qualquer outro. Portanto, se eu for ainda melhor, isso deverá significar que ainda tenho condições de continuar sendo o número um” – Ayrton Senna

LEGADO

Senna deixou sua marca no automobilismo! 

– Em 1990, o piloto sugeriu que um ‘S’, em uma clara alusão ao seu sobrenome, ligasse a reta do boxe à curva do sol no autódromo de Interlagos, na cidade de São Paulo.

– Grande parte da herança do piloto foi destinada a ajudar as crianças mais pobres e, dessa forma, nasceu o Instituto Ayrton Senna, no dia 20 de novembro de 1994, poucos meses após o trágico acidente, com o intuito de mudar a realidade dos jovens. Atualmente, o projeto é comandado por Viviane Senna, irmã de Ayrton.

– Quinze anos após a sua morte, o brasileiro continuou fazendo história. Em uma pesquisa realizada pela inglesa Autosports, que ouviu mais de 200 pilotos, Ayrton Senna foi eleito o melhor piloto de Fórmula 1 de todos os tempos. Já a BBC, foi além, e o elegeu como o maior piloto de Fórmula 1 da história.

– O ídolo brasileiro inspirou diversas homenagens: canções, moedas, grafites, samba enredo e série de TV. 

SENNA BRANDS

Para homenagear o ídolo brasileiro, os canais oficiais do tricampeão da Fórmula 1, apresentará um conteúdo especial sobre o legado do piloto, através da campanha #MundoSenna, neste sábado, 1º, a partir das 14h. 

Os fãs poderão prestar homenagens através da hashtag e ainda conheceram uma luva produzida em madeira, que celebra as 41 vitórias na F1. A tiragem será limitada de apenas 41 unidades.

Senna é um marco na vida dos brasileiros, sua morte foi um dos maiores baques sofridos pela nação. E apesar da dor e da saudade, temos certeza que ele lutou por seus sonhos e honrou a sua pátria. 

“Seja você quem for, seja qual for a posição social que você tenha na vida, a mais alta ou a mais baixa, tenha sempre como meta muita força, muita determinação e sempre faça tudo com muito amor e com muita fé em Deus, que um dia você chega lá. De alguma maneira você chega lá” – Ayrton Senna

Para sempre, Senna!

Com informações de Revista Caras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *