morada-03
Contabilidade Fácil
CEA_Prancheta 1

Mãe e filha morrem de Covid-19 no intervalo de 9 dias no mesmo hospital: ‘Disse que cuidaria da filha’

Destaque Saúde

Maria Roberta da Conceição Xavier, de 67 anos, e Fabiana da Conceição Xavier, de 41, foram internadas no Hospital de Bertioga, no litoral paulista, mas não resistiram

Mãe e filha morreram em um intervalo de nove dias no mesmo hospital em Bertioga, no litoral de São Paulo, por complicações da Covid-19. Maria Roberta da Conceição Xavier, de 67 anos, e Fabiana da Conceição Xavier, de 41, foram internadas, mas não resistiram à doença. Em entrevista ao G1 nesta quinta-feira (29), o esposo de Fabiana relembrou que, ao ser internada, a idosa disse que iria até lá para cuidar da filha.

Clodoaldo explica que a esposa foi a primeira a apresentar sintomas, a partir de 4 de abril. Fabiana começou a sentir tontura, e ele, por já ter sido contaminado no último ano, decidiu buscar ajuda e isolá-la em casa. Ele a levou ao Hospital de Bertioga algumas vezes, até que ela precisou ser internada na unidade. A doença provocou complicações, e ela precisou fazer uma cirurgia de emergência no intestino.

No dia em que ela realizava o procedimento, a mãe dela também foi internada por conta da doença. Maria Roberta, que tinha outros problemas de saúde, estava começando a ficar desorientada. Ela chegou a tratar a doença por alguns dias em casa, mas a situação se agravou.

Fabiana morreu uma semana após ser internada, no dia 16 de abril, devido a complicações da doença. A idosa não soube do falecimento da filha, e apenas nove dias depois, em 25 de abril, teve cinco paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. O momento foi muito difícil para a família, relata Clodoaldo, especialmente pelo fato de a esposa deixar dois filhos.

A família prestou uma homenagem a ambas nas redes sociais, e usou a história para alertar as pessoas sobre a gravidade da doença. “Elas [esposa e sogra] eram espetaculares. Fortes, super mães, pessoas maravilhosas. Estamos tentando nos conformar com tudo isso”, diz. Ele ainda reitera a importância de levar a sério a Covid-19, e de tomar os cuidados necessários.

“A gente só passa a acreditar realmente na doença quando está na nossa família. Mesmo nos cuidando, fomos contaminados, e estamos tentando aceitar a situação. As pessoas precisam ser alertadas, porque da mesma forma que atingiu a minha família, pode chegar à casa de qualquer uma”, conclui.

Com informações do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *