vasconcelos-corretor
morada-03
CEA_Prancheta 1
Contabilidade Fácil
camara

Prefeitura de Bertioga segue com alerta à população quanto aos casos de dengue no município

Cidades Destaque

Nesta época do ano os casos de dengue aumentam e por conta disso, a Prefeitura intensifica os trabalhos de prevenção para evitar a proliferação dos mosquitos Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika vírus, chikungunya e febre amarela urbana. Neste ano Bertioga já registra 132 casos confirmados de dengue e 77 estão em investigação, além de seis casos de chikungunya confirmados.

Nesta semana, os agentes de controle de endemias estiveram no bairro Jd. Paulista, Centro. As equipes estão diariamente nas ruas fazendo visitas para orientar os munícipes e identificar focos de proliferação dos mosquitos. É fundamental que os moradores recebam os profissionais e sigam as orientações de prevenção e de eliminação de criadouros.

O trabalho de prevenção é realizado o ano inteiro. Os agentes também visitam os munícipes que contraíram a doença e os imóveis ao redor da casa dos doentes, identificando possíveis focos e conscientizando a população.

É importante que toda população fique atenta ao acúmulo de água parada para que os casos de dengue não aumentem. “É fundamental que os moradores fiquem atentos aos locais ou recipientes com água parada, observem se há acúmulo de água no telhado, laje e nas calhas, por exemplo, além de potes vazios no quintal, pneus e aparadores de vasos de planta. Sempre que possível, os ralos devem estar telados”, reforça a secretária de Saúde, Janice Santos.

Controle biológico

A Prefeitura aplica larvicidas – inseticida fornecido pelo Governo Estadual, em criadouros que não podem ser removidos, como piscinas abandonadas, por exemplo. Também é realizado o controle biológico através do projeto “Peixe Urbano”, aplicando peixes larvófagos (se alimentam da larva do mosquito).

Disk dengue

O “Disk Dengue”, número (13) 3317-6273, do Programa Municipal de Combate às Arboviroses, é dedicado a receber denúncias de focos e criadouros. As queixas são encaminhadas para os agentes de combate a endemias, que vão até o local denunciado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *